terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Investimento em inovação equivale a 1,2% do PIB do País

O Estado de S.Paulo / João Villaverde
28 de janeiro de 2014 | 2h 08

Em 2012, a presidente Dilma Rousseff propôs em cadeia de rádio e TV uma nova perna do tripé de estabilidade econômica: o aumento da competitividade dos produtos nacionais. Mas o baixo uso dos incentivos da Lei do Bem aponta que o objetivo presidencial deve demorar mais tempo para ser alcançado.

Segundo dados da Receita Federal, há 187 mil empresas no Brasil que recolhem impostos sobre o lucro real. Em 2012, o dado mais recente disponível, pouco mais de mil companhias declararam investimento em pesquisa e desenvolvimento (P&D), e, destas, 787 firmas conseguiram obter algum benefício.

"Vimos com muita decepção o dado de acesso aos benefícios da Lei do Bem em 2012. Nesta velocidade, a inovação não vai avançar", disse o especialista Valter Pieracciani, sócio da Pieracciani Desenvolvimento de Empresas. Segundo dados do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), o investimento total em inovação no Brasil oscila próximo ao patamar de 1,2% do PIB. Para Pieracciani, esse porcentual deveria dobrar para que o País pudesse se aproximar dos países ricos, como os EUA e a Alemanha, na competitividade mundial em indústria e serviços.

Para Álvaro Prata, secretário de desenvolvimento tecnológico do MCTI, a ideia de inovar para ganhar competitividade tem sido "incutida" na cultura empresarial brasileira. Além do discurso oficial, o governo aumentou o capital da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e direcionou um dos mais de 20 pacotes com medidas econômicas anunciados desde 2011 somente para a inovação: o Plano Inova Empresa, que tornou disponíveis mais de R$ 30 bilhões em crédito subsidiado para sete segmentos diferentes.

"Neste momento, de retomada da economia brasileira, as nossas empresas, ainda que tenham condição de investir em P&D, ficam mais conservadoras, o que é natural. Quando o cenário se estabilizar, o que deve acontecer a partir de agora, o investimento vai deslanchar", disse Prata.
http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,investimento-em-inovacao-equivale-a-1-2-do-pib-do-pais,1123770,0.htm

Nenhum comentário: