domingo, 15 de dezembro de 2013

China anuncia princípios da nova política de urbanização

Estadão.com.br / Reuters / Pete Sweeney
14 de dezembro de 2013 | 17h 31

O governo chinês divulgou novos detalhes do plano para migrar milhões de cidadãos das áreas rurais para as cidades, segundo relatos da imprensa estatal neste sábado, numa tentativa de ajudar a economia ao elevar o consumo.

O governo espera que 60 por cento da população chinesa de cerca de 1,4 bilhão de pessoas esteja em áreas urbanas até 2020, com os novos líderes do país buscando sustentar o crescimento da economia, que no ano passado desacelerou para o menor ritmo em 13 anos, a 7,8 por cento.

Por outro lado, as lideranças têm dificuldade para equilibrar objetivos múltiplos e muitas vezes conflitantes, como encorajar a migração de milhões de agricultores sem criar favelas e problemas de desemprego que já ocorreram em países que registram o mesmo tipo de movimento demográfico.

As restrições à migração, que criaram populações de migrantes ilegais em muitas cidades chinesas, têm se mostrado uma grande fonte de instabilidade social e têm enfatizado a distribuição desigual dos frutos do crescimento econômico chinês.

A declaração publicada ao final de uma conferência do governo traz um comprometimento para melhorar a qualidade do processo, sem mencionar novas políticas ou um cronograma.

O relatório adverte contra uma precipitação em busca de resultados rápidos.

A declaração diz que o governo irá melhorar a qualidade da "urbanização centrada no ser humano", em uma maneira organizada.
http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,china-anuncia-principios-da-nova-politica-de-urbanizacao,1108649,0.htm

Nenhum comentário: